Novo remédio Alzheimer deve chegar em 2020

A empresa farmacêutica Biogen vai entrar, no início do próximo ano, com um pedido junto à agência norte americano FDA (Food and Drug Administration) para a liberação de um novo medicamento para o tratamento de pacientes com a doença de Alzheimer. O novo remédio, que já passou por várias fases de teste, reduziu o declínio clínico em pacientes que foram diagnosticados precocemente com a doença.

O medicamento novo recebeu o nome de Aducanumab. Quem tomou a nova droga experimentou, segundo a empresa, benefícios significativos em medidas de cognição e função, como memória, orientação e linguagem.

Os pacientes também experimentaram benefícios em atividades da vida diária, como a administração das finanças pessoais, a realização de tarefas domésticas, como limpeza, compras, lavar roupas e até viajar de forma independente.

“Com uma doença tão devastadora que afeta dezenas de milhões em todo o mundo, o anúncio é verdadeiramente encorajador na luta contra a doença de Alzheimer”, disse Michel Vounatsos, CEO da Biogen. “Estamos esperançosos com a perspectiva de oferecer aos pacientes a primeira terapia para reduzir o declínio clínico da doença de Alzheimer”, acrescentou Michel.

Ao mesmo tempo que tenta autorização da FDA para a comercialização do medicamento nos Estados Unidos, a empresa farmacêutica disse que está em contato com autoridades reguladoras de países da Europa e também do Japão, para que essa nova droga possa também ser vendida nesses mercados.

Atualmente, não existem tratamentos medicamentosos no mercado que possam retardar a progressão da doença de Alzheimer.

Prevenção é melhor alternativa

No Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), estima-se que 55 mil novos casos de demências ocorram todos os anos, a maioria decorrentes de Alzheimer.

Enquanto não há cura para essa doença degenerativa, os médicos recomendam que a melhor alternativa é focar na prevenção. Embora as causas da causas da doença não estejam totalmente esclarecidas, sabe-se que hábitos saudáveis podem impedir que ela apareça, conforme o geriatra Renato Bandeira de Mello, que é membro da SBGG.

“A prevenção passa pela adoção de hábitos saudáveis ao longo da vida, mas nunca é tarde para começar. Nunca é tarde para começar a fazer uma atividade física, mudar hábitos alimentares que ajudem a diminuir a obesidade. E, principalmente, o controle da pressão arterial é fundamental”, diz o médico.

Fonte: Estado de Minas